Ao utilizar este website está a concondar com a nossa política de uso de cookies. Para mais informações consulte a nossa Política de Privacidade.

OK
pt

Ponha os pés a jeito porque vamos falar de Reflexologia! A técnica estimula pontos energéticos nos pés que, por estimularem outras zonas do corpo, desempenham um papel importante no melhoramento da sua saúde.

Apesar dos pés serem privilegiados nesta terapia, também se podem estimular outras zonas do corpo: orelhas, mãos e coluna vertebral.

 

Como funciona a Reflexologia

A Reflexologia é uma técnica específica que aplica pressão - com os dedos das mãos - em pontos específicos dos pés e isso porque acredita que eles são áreas reflexas que correspondem a todas as partes do corpo.

Deste modo, estimula o potencial de cura nos pés (também orelhas, mãos e coluna vertebral) para promover mudanças fisiológicas noutras partes do organismo.

 

Quais os resultados da Reflexologia?

Juntas, as quatro áreas da Reflexologia - pés, mãos, orelhas e coluna vertebral - fazem correspondência com órgãos específicos do seu corpo que, através das massagens, são estimulados para promover um equilíbrio e melhorar o funcionamento da zona problemática.

Entre outros benefícios, a Reflexologia melhora a circulação sanguínea ao desbloquear setores em que a energia não está a fluir corretamente. Além disso, rejuvenesce porque combate diretamente os radicais livres, o que ajuda a prevenir o envelhecimento prematuro e a melhorar a aparência geral da pele.

Também promove o equilíbrio emocional e relaxa… corpo e mente!

Reflexologia

Origem da Reflexologia

Reflexologia, derivado de “reflexo”, é uma técnica que estuda os efeitos da estimulação de pontos energéticos e como influenciam outros pontos do nosso corpo.

A origem da reflexologia não é certa. É possível ver referências a esta técnica em referências de Descartes, Fitzgerald e outros autores. As terapias mais conhecidas de reflexologia, ou reflexoterapia, são a Do-In, da medicina tradicional japonesa, e o Tui Na, da medicina tradicional chinesa.

 

Áreas Corporais da Reflexologia

Apesar da zona corporal mais conhecida e usada na reflexoterapia ser a zona dos pés, existem 4 pontos chave desta terapia holística:

  • Coluna vertebral
  • Pés
  • Mãos
  • Orelhas

Todas estas 4 áreas respeitam uma única teoria: cada área tem correspondência/reflexo em órgãos e/ou sistemas e estruturas específicas do corpo que, através pressões e massagens, são estimulados, promovendo um equilíbrio e melhoria do seu funcionamento.

 

Benefícios da Reflexologia

Existem inúmeros benefícios, entre os quais destacamos:

  • Alívio de situações de dor ou dor crónica, sendo esta terapia especialmente benéfica em situações de gravidez, pós-parto ou após uma cirurgia
  • Equilíbrio dos sistemas energéticos
  • Melhora a circulação sanguínea
  • Melhoria do sistema linfático
  • Relaxamento profundo – melhoria de situações de stress, ansiedade ou relaxamento que pode levar o paciente a adormecer durante a sessão.

 

Contraindicações da Reflexologia

Não se deve realizar uma sessão de reflexoterapia quando:

  • O paciente tem febre
  • O paciente tem doenças contagiosas de pele
  • O paciente teve uma trombose ou flebite recentemente
  • Primeiro trimestre de uma gravidez em pacientes com histórico de abortos espontâneos

 

Cuidados especiais a ter durante uma sessão de reflexologia

É necessário ter cuidado durante uma sessão de reflexoterapia quando:

  • O paciente fez uma intervenção cirúrgica recentemente – apesar de benéfico, especialmente no tratamento e alívio da dor, deverá ser aplicada uma pressão mais suave
  • Existem cortes, cicatrizes, contusões ou ferimentos: estas zonas devem ser evitadas pelo terapeuta
  • O paciente tem algumas zonas com calosidades – se ainda estiverem sensíveis, deve ser aplicada uma menor pressão
  • O paciente é diabético – deve utilizar-se uma pressão menor de forma geral, pois tem uma pele mais fina e sensível, e em especial na zona do pâncreas.
  • Os pacientes são idosos ou crianças – deve ser usada menor pressão
  • O paciente tem histórico de problemas cardíacos, deve ser usada menor pressão na área do coração
  • Os pacientes têm uma doença terminal – deverá ser utilizada uma pressão mais moderada.